Na busca de soluções simplificadas

O Projeto Tecnologias Alternativas para Habitação de Baixo Custo -THABA, resultado de um Convênio CAIXA e Centro de Pesquisas e Desenvolvimento do Estado da Bahia - CEPED representou o marco inicial, no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação, na busca de um sistema construtivo totalmente voltado para a baixa renda, podendo ser utilizado, com certa facilidade em processos de auto-ajuda e auto construção.

Na busca de soluções simplificadas o estudo foi conduzido em etapas, mediante acúmulo de informações e conclusões, que englobaram testes laboratoriais e otimização do sistema construtivo.

Como resultado desse trabalho criterioso foi desenvolvida uma cartilha, com conteúdo simples e objetivo, intitulada "Cartilha para construção de paredes monolíticas de solo-cimento". Seu conteúdo ensinava o emprego desse material de fácil obtenção, terra natural, cimento e água, com critérios bastante intuitivos para escolha do solo, controle de umidade, e compactação da mistura, sem a necessidade de sofisticados testes laboratoriais.

Os resultados foram tão promissores, com redução de custos de até 40% em relação a construção convencional, que buscou-se outras alternativas construtivas usando o solo-cimento como insumo básico.

Junto à COHAB-SP, Companhia Metropolitana de Habitação, e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT, a CAIXA realizou duas experiências. Na primeira, com máquina automática, produziu-se tijolos maciços e acompanhou-se a construção de cinqüenta protótipos, obtendo-se custos bastante inferiores ao convencional e resultados, quanto a qualidade e desempenho, excelentes. A segunda, envolvendo os mesmos participantes, com blocos de solo-cimento e máquina automática mostrou uma produtividade elevada de mão de obra e redução de custos bastante animadoras.

A consolidação dessa tecnologia como uma alternativa viável para a produção de habitações de interesses social ocorreu pela maciça divulgação feita pela CAIXA junto as Prefeituras e Associações de moradores, muitas vezes com a assistência técnica do IPT e do CEPED ou de engenheiros e arquitetos do quadro da CAIXA.

Hoje, todas as alternativas tecnológicas descritas encontram-se normalizadas na Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.

Atual estágio das pesquisas

· Atualmente a principal linha de pesquisa concentra-se na produção de um cimento, a partir de resíduos industriais. Pesquisadores da COPPE/UFRJ, acabam de desenvolver um cimento, com base em resíduos sólidos, cujo processo de produção consome trinta vezes menos energia que o método tradicional e o custo de fabricação com cerca de 50% (cinquenta por cento) menor do que o usualmente produzido, conforme informações contidas no endereço http://www.planeta.coppe.ufrj.br/noticias/noticia000057.html.

· O trabalho denominado Auto-construção para população de baixa renda, desenvolvido na COOPE/UFRJ sob a coordenação do Prof. Francisco Casanova, foi selecionado entre 400 outros trabalhos provenientes do Brasil e apresentado na Reunião Anual da UNESCO realizada em Paris em outubro de 2001, onde foi exaustivamente parabenizado pelos presentes àquele evento.

· Entusiasmados com a aplicação da técnica em favelas e bairros da periferia do Estado do Rio de Janeiro e atentos ao benefício que esta pode trazer à população de países pobres com alto índice de déficit habitacional, membros da Diretoria da UNESCO demonstraram interesse em firmar um convênio com a COPPE para possibilitar a utilização deste método em outros países.

· Esse trabalho contou com o apoio do Programa HABITARE.

· Para informações, entre em contato com a CAIXA.

Fonte: http://www1.caixa.gov.br/gov/gov_social/municipal/programa_des_urbano/inov_tecno/solo_cimento/saiba_mais.asp